sexta-feira, 9 de maio de 2008

O Jazz de Veríssimo

Fui ao SESC ontem à noite, prestigiar Luís Fernando Veríssimo e seu sexteto de cinco músicos, Jazz6. Divulgavam o último cd, “Four”. Eu estava down, realmente para baixo, tivera um dia intensamente cansativo, e nada me faria tão melhor quanto aquele breve momento. Estava com dor nas costas, nos olhos, nas juntas, aqui e acolá, contudo ao ver aquele cara de setenta e poucos anos afagando os ouvidos dos ali presentes com seu jazz (alguns pronunciam ‘jás’. Caro leitor, não me pergunte o porquê, isto é assunto para outro post.) ensaiado e com tanta jovialidade! Ao lado de seus companheiros, profissionalíssimos, diga-se de passagem. Sentia o lamento de cada bemol exclamado. Ah! Foi revigorante, sem mais dores, nem sono. No fim estavam a vender CDs (eu até compraria, se tivesse algum dinheiro nos bolsos). Destaque especial para “Se eu quiser falar com deus”, de Gil, e para o sotaque genuinamente gaúcho do baixista, haha. Uma dica, estimado leitor, ouça jazz. É melhor que Lexotan, é melhor que Red Bull.