segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Right off

O mundo é um lugar triste e desigual por causa das coxinhas. As coxinhas são salgados egoístas, cheios de si, uma querendo ser melhor que a outra. Há diferenças abismais entre uma coxinha de um Frango Assado, por exemplo, para uma de um posto em Formiga. A surpresa ao pedir e morder uma destas é encontrar óleo suficiente para fritar mais dez delas. Um recheio de frango cru, um colorido artificial. O catupiry – o mais traiçoeiro de todos – lembrando shampoo misturado com leite de texugo. A coxinha é, por si só, o ápice do contraste.
O mesmo não ocorre com os espetinhos. É possível encontrar um espetinho razoável em qualquer lugar. Claro que pode estar um pouco duro, mais frio ou mais velho, entretanto são todos consumíveis com uma coca gelada. A vida com o espetinho é mais justa e correta do que a vida com a coxinha.

-x-

Outro dia, em uma parada numa longa viagem, às duas da manhã, num posto em Itaú de Minas, desci naquele frio absurdo e pedi ao atendente um café. Ele, solícito, pegou uma jarra de alumínio e despejou dela o dobro do café que deveria no copo americano (lagoinha, o verdadeiro café de posto), e levou-o ao microondas. Segundos depois, recebi um café requentado pela preguiça de se coar um novo aquela hora da madrugada, e ainda levei uma cara de cu de brinde. Tomei num gole só e voltei correndo para o ônibus, levando o brinde comigo por mais tantas horas de estrada.

2 comentários:

disse...

Gente, relembrando a minha experiência com o petit gateau do Habib's...
sim, tem gosto de coxinha frita!

Aah não acredito que vc tomou esse café! Na próxima, faz igual os motoristas de ônibus, leva numa garrafinha térmica, com a tampa que vira xícara. [;)]

Tá muito bom o blog, com certeza, daqui um tempo vai ter uma legião de moringásticos e moringásticas (adorei essa expressão)!

beijos beijos hot boys!! hauahuahauha

Tomas disse...

obrigado pelo incentivo, e sobre a garrafa térmica, minha vó faz isso. a gente devia aprender mais com nossas vós.