quinta-feira, 18 de setembro de 2008

One of these days

Nos velhos tempos, pensava-se que o coração mandava no corpo. Certamente era porque parecia ser o único órgão que, para o conhecimento da época, nunca parava de funcionar.
Sabemos hoje que é o cérebro quem comanda tudo. Ou não. Um professor certa vez me disse que o corpo inteiro está sujeito às vontades de uma única coisa: a merda.

-x-

Sábado passado estava com meu irmão e uns amigos em um show, num teatro em Belo Horizonte. Eram duas bandas e, no intervalo entre as apresentações, fomos para fora tomar alguma coisa. Eu estava com fome, como de costume, e fui até o pipoqueiro logo à frente do teatro comprar um saquinho de pipocas. Poucos minutos depois, já havíamos dilacerado o pobre saquinho, e Sávio (um dos rapazes que lá estava) foi comprar mais um. Após alguns instantes, o pipoqueiro estava descendo a rua, correndo como quem foge da polícia, sumindo na escuridão. Sávio, num misto de surpresa e riso, disse que o vendedor falou para ele mesmo servir-se, pegar seu troco na gaveta do carrinho e fechá-lo, pois precisava “falar com o fornecedor”. Passou a mão em alguns saquinhos vazios e saiu em disparada.
A única conclusão a qual conseguimos chegar, com o perdão do termo: o cara foi cagar.

Era sábado à noite, um show com boa platéia, o humilde trabalhador estava suando para ganhar seu dinheiro. Entretanto, sem sequer levar em consideração se tinha aluguel para pagar, se tinha mulher e filhos para pôr comida na boca, sem mesmo pensar na parcela do carro que comprou em sessenta vezes, ele largou afoito seu ganha-pão nas mãos de desconhecidos e foi cagar.

Certo estava o professor: a merda definitivamente manda em todos nós.



*Este humilde post é dedicado a Richard Wright, fundador e tecladista do Pink Floyd, falecido na última segunda. Uma das bandas que se apresentou no show citado foi um cover de Pink Floyd, e há quem diga ser uma grande coincidência. Eu acho uma lástima.
Shine on you, Rick.

2 comentários:

Lelê disse...

And you run, and you run to catch up with the sun, but it's sinking
Racing around to come up behind you again
The sun is the same in a relative way, but you're older,
Shorter of breath and one day closer to death.

Jorge disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
to CAGANDO de rir com o post, acho q o segundo show, depois do intervalo, foi quase um desperdicio, pois, a unica coisa q me lembrava era do cara desesperado descendo a rua com papel higienico na mao...
o melhor de tudo!! ele nao perdeu a compostura quando perguntamos, depois do show, como foi o contato com o fornecedor:
- Foi ótimo! tudo para atender meus clientes! vai uma coca-cola geladinha?