segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Cool blues

Quando eu era menor, comia pipoca doce, daqueles saquinhos rosa. E a coisa mais interessante das pipocas doces era que, a cada cinco que eu comia, quatro eram murchas e com gosto de isopor. Dessas, só uma era mesmo doce e crocante. Para achar esta, precisava comer as outras quatro ruins.

A vida é mesmo um grande saco de pipoca doce.

9 comentários:

Neto disse...

boa comparacao hahahaha
sempre odiei pipocas doces =/
abrassss

Jorge disse...

hhahahaha boa
ainda como pipoca doce hehe

mari disse...

CARA. ISSO ME FEZ REFLETIR.

Bin Bean disse...

Tomás ,
sempre me animando . . .
com uma visão positiva sobre a vida!

Bela METÁFORA

akele abraço

Tomas disse...

Isso é o que eu costumo chamar de uma analogia de merda. Tipo a Selma quando diz que os atómos são como alunos numa sala escura em movimento...

Mateus disse...

uhuhuh lembro de quando eu comia bala chita...ate eu oerde um dente com ela

¬¬

Tomas disse...

Porra, eu falei atómos, que burro.

Rogerio Buratti disse...

o pior é que procurando as boas pipocas passamos a gostar também das ruins, o que faz com que as boas parecerem melhores ainda

Duuda e Gueg's disse...

hahahahahhaa
a selma realmente fala isso....DEEUS
mas o post das pipocas, um dos melhores até hjj
eu que ainda como pipoca doce sei a dificuldade de se encontrar uma crocante e docinha..
hahahha
vc é tão inteligentinho tomáas!