domingo, 16 de novembro de 2008

Arial

Perdi minhas gavetas.
Por onde andam meus papéis
Que a duras penas penei a escrever?
Minhas penas, onde estão? E o tinteiro meu?

Calou-se a caligrafia minha,
Disforme, mas minha.
Tornou-se invariavelmente
A Arial a qual
Deparo-me
Com cada verso mal teclado.

Feito este, que por falta de carbono e celulose
Triste e saudoso confronto-me com o não tateável.

Ah, Word,

Perdi minhas gavetas.
Por onde anda meu papelório?

3 comentários:

Bin Bean disse...

FANTÁSTICA
SENSACIONAL
RICA
SUTILMENTE SENTIMENTAL

AKELE HUG

felipe disse...

Realmente Muito Bom..
QUEREMOS MAIS POSTS!

Edninha disse...

Igor!
Parabéns!
Vc conseguiu retratar o seu cotidiano com muita sensibilidade.
Realmente muito bonito.
Nossa Dr, além de ator ainda é poeta?