quinta-feira, 5 de março de 2009

I Know There's An Answer

Desculpe, leitor, se não o agradei com o último post. Ele ficou, ao meu ver, bastante humorado e lúdico, não sendo logicamente de bom grado apagá-lo a esta altura. Gostei muito dos comentários, serei um pouco mais seletivo na escolha do texto ao blog, companheiro do anonimato. Bem ou mal, através dos comentários sabemos que outras pessoas nos leem. Creio que o verdadeiro chulo é o que andamos cativando (desde sempre?), nós brasileiros. O post irá ilustrar minha ideia, feito na madrugada de sábado, acompanhe.


Fui a um aniversário infantil. O ambiente embalado pelo Dj contratado, o qual tocava algumas músicas dance, nada em especial. Ao fundo avós, tios, tias, amigos e agregados, todos falando alto e gesticulando devido ao som, que não poupava os ouvidos ali presentes. Mesas vazias à frente, pista de dança vazia.

O nosso amigo Dj, encarando a pista muito vazia para um início de festa, e querendo fazer jus ao seu cachê, mudou de repertório: funk. Instantes após as primeiras batidas a pista se encheu de crianças de doze anos de idade a dançar o ritmo, e não se cabiam em si mesmas de contentamento. Algumas meninas se atreveram mais, desceram até o chão, chão, chão, despudoradas no olhar e nas mãos.

Entretanto posso dizer que a pista realmente ferveu quando começou, tão amado entre os baixinhos, o sucesso Créu, seguido de suas trocentas versões, inclusive uma paródia de Ilariê. As crianças, sim, ainda crianças, se atiçavam conforme as velocidades graduais da dança. Durante a última, os meninos formaram um círculo, deitados no chão, fingindo copular com o mesmo, achando a situação toda muito natural e divertida. Estavam se descobrindo, apenas.

Os adultos e os não tanto que viram, ou permaneceram indiferentes, ou se espantaram de ver como as crianças brincavam, também permanecendo, porém, indferentes de uma certa forma. Que fariam, afinal? O desespero nos trouxe o riso.

Durante o Parabéns a Você a cerimônia ocorreu nos conformes de uma festinha infantil, Com Quem Será, bolo e docinhos ao fim. Tudo muito lúdico. E agora, eu com a lembrancinha nas mãos, e a aniversariante em sua casa, provavelmente abrindo seus presentes de mulher - já não se ganha mais brinquedos aos doze - só me ocorre um pensamento: preciso rever meus conceitos.

5 comentários:

Anônimo disse...

parabens a vc (não na sequência da festa de aniversário) pela compreensão, respeito e pela humildade demonstrada. este post está muito bom.....

Rafael Bin Bean disse...

tá desculpado , cara,
acho que vi algo parecido ,
mas tinha uma estrela no coração brilhando . . .

estamos ficando velhos,
E nesse mudar-se a cada dia,
uma mudaça se faz de mor espanto,
já não se dança mais como soía.

Curti o post, achei preciso , mostra
que, apesar de tudo, sempre os mais
velhos, não importa o quanto,
sempre têm mais juízos de valores mais conservadores . . .

Akele Hug ! ! !

Marina disse...

Igor e Tomas primeiro desculpe por sumir ontem no msn problemas amorosos para resolver...Ouvi a música a melodia fico espetacular adorei!!A letra muito criativa...ambos ficaram excelentes mas a vida é assim,nem sempre justa também vi a final e tiveram umas três bandas aprovadas por mim,mas tenho certeza que vc arrasariam!
Agora tudo vai fluir e ninguém segura a gente!
=P
Beijos

vec disse...

Ele admira sua compreensão.
E ele não compreende.
Você é humilde, rapaz, só lhe digo isso.
Chulo são os comentários que a tia Simone faz no meu blog com a assinatura desse blog, santo.
Só,
Permita-me uma pergunta: the good or the bad funk?

vec disse...

e, ah.
O Bean tá falando em versos ao vivo também?